Marcela Sánchez Buitrago

Durante uma intensa jornada de trabalho dedicada ao ativista falecido Walter Trochez (Honduras), Marcela Sánchez Buitrago (Colombia) desenvolveu seu seminário, no qual os e as participantes, dividxs em grupos, elaboraram definições para dar sentido à palavra “documentar” (sempre no contexto dos Direitos Humanos) e, uma vez definido isso, elaborar entre todxs uma metodologia efetiva para efetuar a documentação jurídica e política de casos de violações aos direitos humanos, especialmente da comunidade LGBTI.

Em seguida, conversamos sobre a naturalização dos fundamentalismos e das violências a que são submetidas pessoas lésbicas, gays, trans, bissexuais e intersex, e tentamos consensuar estratégias que garantam nossa própria segurança.

Na parte da tarde, e para finalizar, Marcela propôs a simulação de um julgamento, previamente guiado pela facilitadora, com o objetivo de que os e as participantes argumentassem a favor e contra posturas fundamentalistas, utilizando-se de instrumentos legais.

Marcela Sánchez Buitrago